Nelson Taboada recebe Diploma de Amigo do Exército

Fonte: http://www.bahiasocial.com.br/galeria.php?id=1307 
Publicada: 07 Out 2013, Bahia Social

O oftalmologista Vespaziano Santos, o diretor da ABI – Associação Bahiana de Imprensa, Nelson José de Carvalho e o empresário, economista e presidente da Casa de Cultura Carolina Taboada, Nelson Almeida Taboada foram condecorados com honrarias durante a comemoração do aniversário dos 192 anos da Região Marechal Cantuária, promovido pelo comandante da 6ª Região Militar, General Racine Bezarra, no 19º Batalhão de Caçadores. O evento foi prestigiado pelo General Odilon Benzi, comandante Militar do Nordeste.

Nelson Almeida Taboada 1 Nelson Almeida Taboada 2 Nelson Almeida Taboada 3 Nelson Almeida Taboada 4 Nelson Almeida Taboada a Nelson Almeida Taboada NELSON TABOADA AA nELSON TABOADA ALMEIDA Nelson Taboada Nelson Taboada2

200 Anos da Associação Comercial (arquivo Nelson Taboada)

Foi notícia

Nelson Almeida Taboada

No dia 15 de junho de 2011, no Salão Nobre da Associação Comercial da Bahia, como parte da programação do bicentenário da mais antiga entidade da classe empresarial na América Latina, foi solenemente lançado o livro 200 Anos da Associação Comercial da Bahia.

Durante o evento, o presidente Eduardo Morais de Castro entregou ao escritor Ubaldo Marques Porto Filho e ao empresário Nelson Almeida Taboada  uma placa de prata contendo o reconhecimento da Associação Comercial da Bahia ao autor e ao patrocinador da obra que resume a história dos dois séculos da ACB.

A solenidade, no Salão Nobre do Palácio da Associação Comercial da Bahia (ACB), na noite de 15 de junho de 2011, contou com a presença de membros da imprensa, do corpo consular, de associações, de entidades de classe e de diversas autoridades, dentre elas o presidente da Câmara Municipal de Salvador, Pedro Godinho, e o presidente da Associação Bahiana de Imprensa, Walter Pinheiro. Inúmeros empresários, profissionais liberais, diretores, conselheiros e associados da ACB também prestigiaram o evento que foi encerrado com um coquetel após a distribuição gratuita dos exemplares da obra impressa em papel da melhor qualidade. A excelência da editoração eletrônica, executada pela agência Verbo de Ligação Ilustrações, e a qualidade irretocável da impressão, no parque da Press Color Gráficos, foram alvos de muitos elogios.

200 Anos da Associação Comercial da Bahia é a décima obra patrocinada pela Casa de Cultura Carolina Taboada, entidade fundada e presidida pelo empresário Nelson Almeida Taboada, antigo conselheiro da ACB.

Nelson Almeida Taboada

Nelson Carvalho (diretor da ABI), Nelson Taboada e Walter Pinheiro
(presidente da ABI),

Nelson Almeida Taboada 2

Nelson Taboada, Ubaldo Porto e
Eduardo Morais de Castro.

Nelson_Taboada

Álvaro Dantas, presidente do Instituto Genealógico da Bahia, e
Nelson Taboada.

Taboada

Antônio Carlos Freire, Ubaldo Porto, Walter Pinheiro, Nelson Taboada e Nelson José de Carvalho.

Nelson Almeida Taboada_1

Publicitário Sydney Rezende, Antônio Coradinho
(presidente da Câmara Portuguesa), professor Mario Rezende
e Ubaldo Porto.

 

Família Taboada na Bahia (I)

Em primeiro lugar, o meu muito obrigado pela presença de todos, que atendendo aos convites, enviados pela Casa de Cultura Carolina Taboada e pela Academia dos Imortais do Rio Vermelho, vieram prestigiar este evento que entrará aos órgãos da imprensa e, especialmente, aos colunistas sociais e econômicos, pela grande divulgação que deram a este evento.

Hoje, é um dia muito especial, é, um dia que traz muita alegria, para mim, e certamente para os demais membros da Família Taboada, pois é o dia da realização de um sonho.

Hoje é o dia do lançamento do livro que resgata a história de três ramos da Família Taboada, dos, três ramos que, oriundos da Galícia, se fixaram na Bahia, onde alcançaram projeção econômica e social.

Com raízes milenares, fincadas no Vale do Minho, na região espanhola da Galícia, a Família Taboada nasceu onde hoje se encontra a cidade de Taboada, na província de Lugo, donde se espalhou pelas demais regiões da Espanha, por Portugal e por vários países da Europa. Atravessando o Atlântico, diversos membros da família participaram da colonização do Novo Mundo e se ramificaram pelas Américas do Norte, Central e do Sul.

Hoje, o nome Taboada é sinônimo de uma família multinacional, que, participa ativamente do chamado mundo globalizado.

Especificamente na Bahia, a história da Família Taboada começou há 117 anos, em 22 de novembro de 1892, dia da chegada em Salvador de José Taboada Vidal (nascido em Cerdedo), meu avô, que se estabeleceu no balneário do Rio Vermelho, onde construiu a vida profissional e familiar.

Em 1926, desembarcou na capital baiana José Ramón Taboada Dominguez (nascido em Chandrexa de Queixa), pai de Amélia Taboada Gomes da Costa, presente aqui na Mesa. José Ramón também se tornou um empresário vitorioso e chege de um numeroso clã familiar. Depois de ter tido uma passagem pelo Rio Vermelho, a família fixou-se no Matatu de Brotas, formando o núcleo que ficou conhecido como “os Taboada de Brotas“.

Por último, no dia 3 de março de 1961, desembarcou no porto de Salvador Nestor Taboada Rivas, nascido em Cotobade. Sua história é muito parecida com a do meu avô, pois ambos chegaram adolescentes e, com muito trabalho e exemplar dedicação à família, se transformaram em personalidades de destaque na comunidade da Cidade do Salvador.

Com Nestor, presente aqui nesta Mesa, encerrou-se o ciclo histórico dos galegos da nossa família que vieram fazer história e contribuir com o desenvolvimento da Bahia. Nestor, um empresário bem-sucedido no setor dos transportes urbanos de Salvador, é atualmente superintendente administrativo-financeiro do tradicional Hospital Espanhol, erguido pela colônia galega na Bahia. Meu avô, José Taboada Vidal, foi um dos beneméritos deste hospital que hoje se constitui numa referência de excelência na Bahia.

A odisseia completa da Família Taboada na Bahia está contada no livro que aqui está sendo lançado e ofertado aos convidados. Foi escrito por Ubaldo Marques Porto Filho, amigo da família há 50 anos. Ou seja, o escritor possui uma convivência de meio século com a nossa família, desde o patriarca José Taboada Vidal, que conheceu em seus últimos anos de vida, dedicados com grande afinco à construção da atual Igreja Matriz de Sant’Ana do Rio Vermelho.

Nesse dia muito especial, não poderia deixar de homenagear Carolina Soussa Taboada, minha única filha, nascida no dia 25 de março de 2001. Deus, sempre generoso, permitiu que eu Nelson Almeida Taboada e Patrícia Soussa Taboada fôssemos pais de uma maravilhosa menina, última bisneta de José Taboada Vidal, inspiradora da criação da Casa de Cultura Carolina Taboada, e para quem eu queria deixar um registro histórico da nossa família, materializado agora com este grandioso livro. Sem ela, razão maior e única para tudo que está acontecendo, não existiria a Casa de Cultura e nem o patrocínio deste livro.

Agora tenho a honra e o prazer de proceder à entrega do livro “Família Taboada na Bahia” a cada um dos integrantes desta Mesa.

Por último, declaro finalizados os trabalhos desta Mesa e convido os presentes para o início do jantar de congraçamento. Enquanto isso, o Mestre de Cerimônias, senhor Germano Dansiger, irá chamando, por ordem alfabética, para a entrega de seus exemplares, as pessoas com o sobrenome Taboada.

O meu muito obrigado a todos que aqui se encontram e que vieram prestigiar esse evento!

Veja também: Discurso de Nelson Almeida Taboada: Família Taboada na Bahia (I)

Nelson Almeida Taboada recebe medalha na Câmara

O economista e empresário, Nelson de Almeida Taboada, recebeu ontem na Câmara Municipal de Salvador, a medalha Thomé de Sousa, a mais alta honraria concedida, pela câmara.

A solenidade, realizada no plenário Cosme de Farias, que estava lotadíssimo de amigos e admiradores, teve a presença de destacadas autoridades, entre as quais, o Senador César Borges, Senador Mão Santa do Piauí, o Prefeito João Henrique, Ministro do Superior Tribunal de Justiça, Paulo Furtado, Vice-Almirante Arnon Lima Barbosa, Comandante do 2º Distrito Naval, deputado Sérgio Carneiro, Cônsul da Espanha, Vereador Pedro Godinho, autor da projeto de outorga da medalha, e tantas outras, que fizeram questão de prestigiar, o homenageado.

Nelson, é uma figura de destaque no cenário baiano, como empresário, no ramo do agronegócio, controlando fazendas produtoras de soja, algodão, arroz e milho, localizadas na Bahia e no Piauí, e como, benemérito da cultura, é também Presidente da Casa de Cultura Carolina Taboada, que em dois anos de existência, realizou várias obras sociais, no bairro do Rio Vermelho, patrocinou 9 livros, fazendo jús ao instinto de benemerência da família Taboada, que teve papel relevante na edificação da Igreja Matriz de Sant´Ana. Seu avô, José Taboada Vidal, espanhol da Galícia, foi um próspero comerciante de molhados e tecidos no bairro do Rio Vermelho, na primeira metade do século XX, e os negócios tiveram continuidade e expansão, por seu pai, Nelson Taboada de Souza, que veio a ser um destacado industrial, sendo considerado o benemérito da indústria, fora presidente da FIEB, por 6 anos consecutivos, com relevantes serviços prestados ao associativismo e à classe.

Matéria Original do Site Salvador Acontece: Nelson Taboada recebe medalha na Câmara

Perfil Biográfico de Nelson Taboada em site de escritor

O site recém lançado do escritor Ubaldo Marques Porto Filho traz uma série de boas informações sobre sobre sua história. Nele o internauta pode ficar por dentro de toda trajetória desse grande escritor, com fotos antigas, livros lançados, discursos e palestras, artigos e também ótimos textos sobre o Rio Vermelho.

No site do escritor também encontramos Perfis Biográficos de grandes nomes da Bahia e do Brasil. A exemplo do meu perfil, que você pode ler Clicando Aqui.

 

Discursos, Artigos e Prefácios, uma coletânea comemorativa de Nelson Almeida Taboada

Quando morei na Europa, tive o privilégio de fazer alguns pronunciamentos na Itália, em eventos no Centro Internacional de Aperfeiçoamento Profissional e Técnico da Organização Mundial do Trabalho, com sede em Turim, onde representei o Brasil por delegação da Confederação Nacional da Indústria.

Depois, fiz muitos discursos e palestras, principalmente quando comandei na Bahia o grupo de comunicação dos Diários e Emissoras Associados. Como presidente do Sindicato das Indústrias de Cerâmica do Estado da Bahia, também fiz vários pronunciamentos em conclaves técnicos.

Na época, não havia o computador para se guardarem os discursos que eram registrados em laudas datilografadas, as quais, com o tempo, foram se extraviando e me deixaram sem os textos para que pudesse resgatar essas importantes fases da minha vida profissional.

Na verdade, por nunca pensar que em dia viesse a escrever um livro contendo os meus pronunciamentos, negligenciei na preservação dos discursos e relatórios que elaborei ao longo dos anos.

Somente a partir da fundação da Casa de Cultura Carolina Taboada, em de março de 2008, foi que passei a ter cuidado na conservação do que escrevia. E fui guardando todos os originais no arquivo no meu computador.

Ao se completarem três anos da existência da Casa de Cultura Carolina Taboada, resolvi publicar uma seleção do que escrevi de mais importante, que julgo ser também de algum interesse público, principalmente da comunidade riovermelhense.

Tudo que está escrito no livro ‘Discursos, Artigos e Prefácios, uma Coletânea Comemorativa de Nelson Almeida Taboada‘ se encontra basicamente relacionado com a memória da minha Família, com a Casa de Cultura Carolina Taboada e com o Rio Vermelho, cuja história começou em , com a chegada do náufrago Diogo Álvares Corrêa, o Caramuru.

No Rio Vermelho, bairro de meus avós, de meus pais e de minha infância/adolescência, e onde se encontra o escritório administrativo das minhas atividades empresariais e também a sede da Casa de Cultura Carolina Taboada.

E para comemorar os três anos de fundação da Casa de Cultura Carolina Taboada idealizei o meu livro, que contém nove discursos, três artigos publicados no jornal Folha do Rio Vermelho e as apresentações que preparei para dez dos doze livros editados sob o patrocínio da entidade que presido.

Este livro, o primeiro que escrevo, é, também, um autopresente, pelos meus 70 anos de idade, completados no dia 17 de maio deste ano.

Salvador, agosto de 2011.
Nelson Almeida Taboada

Casa de Cultura Carolina Taboada patrocina livro sobre a história da Associação Comercial da Bahia

Pelo transcurso do bicentenário da Associação Comercial da Bahia, o empresário Nelson Almeida Taboada (foto), que já foi diretor dessa instituição, está patrocinando através da entidade que preside, a Casa de Cultura Carolina Taboada, a publicação do livro ‘200 Anos da Associação Comercial da Bahia’, escrito por Ubaldo Marques Porto Filho. O lançamento será em junho, no Salão Nobre da ACB.

“O livro é o melhor presente que eu poderia oferecer a mais antiga associação empresarial do Brasil, que tem uma rica trajetória de relevantes serviços prestados à Bahia”, disse o benemérito da cultura baiana.

Discurso de Nelson Almeida Taboada

Minhas Senhoras, Meus Senhores, Meus Amigos:
Hoje é um dia muito especial para mim, por três motivos.

O primeiro é por receber a Medalha Thomé de Souza, a maior honraria que a Câmara Municipal da Cidade do Salvador outorga a um cidadão soteropolitano. A Medalha Thomé de Souza é uma condecoração que me deixa envaidecido e ao mesmo tempo com a responsabilidade redobrada em continuar prestando meus modestos serviços à cultura e ao social na minha cidade e no meu querido bairro, o Rio Vermelho.

O segundo motivo especial é o fato da Casa de Cultura Carolina Taboada, entidade sem fins lucrativos, estar completando hoje dois anos de fundada. E nesse curto período, já promoveu diversas ações beneficentes dirigidas à classe dos menos favorecidos, patrocinou nove edições da Folha do Rio Vermelho, que é o jornal oficial do bairro da minha família, e patrocinou a publicação nove livros. Os dois últimos, então sendo lançados simultaneamente, hoje, aqui na Câmara Municipal.

Um, denominado NOTÁVEIS DO RIO VERMELHO, relaciona 4.561 nomes de pessoas que ajudaram a construir a história dos 500 anos do Rio Vermelho. O outro, intitulado NELSON TABOADA SOUZA, BENEMÉRITO DA INDÚSTRIA, registra a biografia do meu saudoso pai. As duas obras foram escritas por Ubaldo Marques Porto Filho, biógrafo da Família Taboada e historiador do Rio Vermelho.

O terceiro motivo, também muito especial, é a minha única filha Carolina Sousa Taboada, que hoje aniversaria, faz nove anos de idade. Ela foi a fonte inspiradora para o surgimento da Casa de Cultura Carolina Taboada e da canção ‘Ode à Carolina Taboada’, de autoria do compositor, músico e cantor José Alberto Morais Silva, com arranjo do maestro Fred Dantas. Essa composição faz parte do repertório do CD ‘Ode à Carolina Taboada’, que será lançado dentro de poucos dias.

Nesse momento solene, que ficará marcado para sempre na história da minha vida, não posso deixar de falar no meu avô, José Taboada Vidal, no meu pai, Nelson Taboada Souza, e na minha mãe, Maria Antonieta Almeida Taboada, que passaram a vida inteira praticando benemerências, tendo como foco principal o Rio Vermelho, onde inclusive participaram ativamente da epopéia que foi a construção da atual Igreja Matriz, inaugurada em 26 de julho de 1967, dia de Senhora Sant’Ana, Padroeira do Rio Vermelho.

Deles recebi a herança da fraternidade e tenho procurado ser o continuador da tradição familiar, de disseminar o bem, de colaborar com as atividades culturais, de cultivar a religiosidade e de contribuir, de forma desinteressada e discreta, para minorar os sofrimentos dos mais carentes.

Portanto, ao meu avô e aos meus pais, devo repartir os loiros da vitória que hoje se materializa com a Medalha Thomé de Souza. Que sirva também de mais um exemplo para a minha filha, que irá, com fé em Deus, em Senhor do Bomfim e em Senhora Sant’Ana, trilhar os mesmos caminhos das boas ações praticadas pelos seus ascendentes paternos.

Senhoras e Senhores, reitero os agradecimentos ao ilustre vereador Pedro Godinho, que, dentre tantas personalidades, merecedores da Medalha Thomé de Souza, optou pela minha indicação. Os agradecimentos são extensivos aos demais edis que, por decisão unânime, aprovaram a homologação do meu nome para a outorga da Medalha Thomé de Souza. Agradeço ainda a essa augusta Casa Legislativa pelo privilégio que me foi concedido em receber essa importante láurea, que dignifica e enobrece o homenageado.

Enfim, agradeço aos componentes da Mesa diretora desta Sessão, às autoridades, aos amigos e parentes, aos que vieram de outros estados, aos companheiros produtores de soja e algodão do oeste baiano e a todos que se encontram neste plenário histórico. A presença dos senhores e senhoras, nesta Sessão Solene da mais antiga Câmara Municipal do Brasil, constituiu-se num motivo de imensa alegria, de muita satisfação e de uma grande honra para mim.

Mais uma vez, o meu muito obrigado a todos aqui presentes.

Sessão Solene em homenagem a Nelson Almeida Taboada

Reunida em Sessão Solene, especialmente convocada para a entrega da Medalha Thomé de Souza ao presidente da Casa de Cultura Carolina Taboada, economista Nelson Almeida Taboada, a Câmara Municipal de Salvador viveu uma noite de gala no dia 25 do mês passado.

Cerca de trezentas pessoas, muitas vindas do interior da Bahia e de outros estados, entre membros dos poderes executivo, legislativo, judiciário e militar, autoridades federais, estaduais e municipais, políticos, profissionais liberais, jornalistas, intelectuais, escritores, artistas, industriais, empresários, produtores rurais, representantes de entidades de classe, integrantes da comunidade do Rio Vermelho, amigos e familiares do homenageado.

Foi a solenidade mais concorrida na história dos últimos dez anos da entrega da maior honraria que a primeira casa legislativa do Brasil concede às personalidades com relevantes serviços prestados à primeira capital brasileira. O plenário Cosme de Farias foi pequeno para abrigar todos que foram prestigiar o evento e abraçar o empresário benemérito da cultura.

Biografia do Benemérito da Indústria foi lançada na Câmara Municipal de Salvador

A biografia de um ilustre filho do Rio Vermelho, o industrial Nelson Taboada Souza (foto), ficou pronta 26 anos depois de sua morte, ocorrida em 30 de julho de 1983, aos 71 anos. O lançamento de ‘Nelson Taboada Souza, Benemérito da Indústria’, escrito por Ubaldo Marques Porto Filho, será no mesmo dia que seu único filho, Nelson Almeida Taboada, estará recebendo, no plenário da Câmara Municipal de Salvador, a Medalha Thomé de Souza. Imediatamente após a outorga da honraria, haverá a solenidade do lançamento do livro, no Centro de Cultura da Câmara.