Perfil Biográfico de Nelson Taboada em site de escritor

O site recém lançado do escritor Ubaldo Marques Porto Filho traz uma série de boas informações sobre sobre sua história. Nele o internauta pode ficar por dentro de toda trajetória desse grande escritor, com fotos antigas, livros lançados, discursos e palestras, artigos e também ótimos textos sobre o Rio Vermelho.

No site do escritor também encontramos Perfis Biográficos de grandes nomes da Bahia e do Brasil. A exemplo do meu perfil, que você pode ler Clicando Aqui.

 

Discursos, Artigos e Prefácios, uma coletânea comemorativa de Nelson Almeida Taboada

Quando morei na Europa, tive o privilégio de fazer alguns pronunciamentos na Itália, em eventos no Centro Internacional de Aperfeiçoamento Profissional e Técnico da Organização Mundial do Trabalho, com sede em Turim, onde representei o Brasil por delegação da Confederação Nacional da Indústria.

Depois, fiz muitos discursos e palestras, principalmente quando comandei na Bahia o grupo de comunicação dos Diários e Emissoras Associados. Como presidente do Sindicato das Indústrias de Cerâmica do Estado da Bahia, também fiz vários pronunciamentos em conclaves técnicos.

Na época, não havia o computador para se guardarem os discursos que eram registrados em laudas datilografadas, as quais, com o tempo, foram se extraviando e me deixaram sem os textos para que pudesse resgatar essas importantes fases da minha vida profissional.

Na verdade, por nunca pensar que em dia viesse a escrever um livro contendo os meus pronunciamentos, negligenciei na preservação dos discursos e relatórios que elaborei ao longo dos anos.

Somente a partir da fundação da Casa de Cultura Carolina Taboada, em de março de 2008, foi que passei a ter cuidado na conservação do que escrevia. E fui guardando todos os originais no arquivo no meu computador.

Ao se completarem três anos da existência da Casa de Cultura Carolina Taboada, resolvi publicar uma seleção do que escrevi de mais importante, que julgo ser também de algum interesse público, principalmente da comunidade riovermelhense.

Tudo que está escrito no livro ‘Discursos, Artigos e Prefácios, uma Coletânea Comemorativa de Nelson Almeida Taboada‘ se encontra basicamente relacionado com a memória da minha Família, com a Casa de Cultura Carolina Taboada e com o Rio Vermelho, cuja história começou em , com a chegada do náufrago Diogo Álvares Corrêa, o Caramuru.

No Rio Vermelho, bairro de meus avós, de meus pais e de minha infância/adolescência, e onde se encontra o escritório administrativo das minhas atividades empresariais e também a sede da Casa de Cultura Carolina Taboada.

E para comemorar os três anos de fundação da Casa de Cultura Carolina Taboada idealizei o meu livro, que contém nove discursos, três artigos publicados no jornal Folha do Rio Vermelho e as apresentações que preparei para dez dos doze livros editados sob o patrocínio da entidade que presido.

Este livro, o primeiro que escrevo, é, também, um autopresente, pelos meus 70 anos de idade, completados no dia 17 de maio deste ano.

Salvador, agosto de 2011.
Nelson Almeida Taboada

A Câmara Municipal de Salvador homenageou Catharina Paraguassú

Em concorrida Sessão Especial, a Câmara homenageou Catharina Paraguassú

Para comemorar os 500 anos do nascimento (1512-2012) de Catharina Paraguassú e também pela instituição do Dia Municipal de Catharina Paraguassú, a Câmara Municipal de Salvador promoveu, na noite do dia 16 de julho, uma Sessão Especial convocada pelo vereador Pedro Godinho e prestigiada por uma platéia que lotou o Plenário Cosme de Farias.

Sob o comando do presidente Pedro Godinho, a mesa dos trabalhos foi composta pelas seguintes personalidades: Marcos de Meirelles Fonseca, presidente da Associação Comercial da Bahia; Nelson José de Carvalho, diretor da Associação Bahiana de Imprensa (ABI); Eduardo Morais de Castro, presidente do Conselho Consultivo da Universidade Salvador (Unifacs); Antônio Coradinho, presidente da Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil-Bahia; Ângelo Magno Carmo Lopes, pároco do Rio Vermelho e membro do Conselho Presbiterial da Arquidiocese de São Salvador da Bahia; Nelson Almeida Taboada, presidente da Casa de Cultura Carolina Taboada; Geraldo Abbehusen, chefe da Casa Civil da Prefeitura de Salvador e segundo signatário da lei que instituiu o 26 de janeiro como o Dia Municipal de Catharina Paraguassú; Claudelino Miranda, chefe de Gabinete do Vice-Prefeito de Salvador; Ubaldo Marques Porto Filho, autor do livro ‘Catharina Paraguassú, Matriarca do Brasil’; Pedro Galvão, presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens da Bahia (Abav); Santiago Campo, presidente da Associação Cultural Hispano-Galega Caballeros de Santiago; e Álvaro Pinto Dantas de Carvalho Júnior, presidente do Instituto Genealógico da Bahia.

A extensão da mesa foi integrada por Bruno Peyrefitte, diretor-geral da Aliança Francesa de Salvador, que representa na Bahia a cultura do país onde Catharina Paraguassú foi batizada; Isa Maria de Souza Silva, presidente da Fundação Gregório de Mattos, entidade cultural da Prefeitura de Salvador; Sydney Gomes de Rezende, presidente do Conselho de Cultura e Turismo do Rio Vermelho; Maria Cecília Pires de Carvalho e Albuquerque Penna, descendente de Catharina Paraguassú; e Ademar da Silveira Brito, presidente do Conselho Deliberativo da Associação Atlética da Bahia.

Entre os presentes no plenário encontravam-se diretores de dezenas de entidades, dentre elas as seguintes: Associação Comercial da Bahia, Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil-Bahia, Gabinete Português de Leitura, Associação Cultural Hispano-Galega Caballeros de Santiago, Real Sociedade Espanhola de Beneficência, Associação Bahiana de Imprensa (ABI), Associação Brasileira de Agências de Viagens da Bahia (Abav), Instituto Genealógico da Bahia, Associação Atlética da Bahia, Casa de Cultura Carolina Taboada, Irmandade de Nossa Senhora da Conceição da Praia, Devoção do Senhor Bom Jesus do Bomfim, Conselho Paroquial do Rio Vermelho, Conselho de Cultura e Turismo do Rio Vermelho, Academia dos Imortais do Rio Vermelho (Acirv), Central das Entidades do Rio Vermelho e a Associação Comunitária Caramuru.

A Sessão Especial também foi assistida por diversos servidores da Fundação Gregório de Mattos, da Fundação Pedro Calmon, da Biblioteca Estadual Juracy Magalhães Júnior, da Escola Municipal Osvaldo Cruz e de organismos da Prefeitura de Salvador, além de vereadores da Câmara Municipal de Salvador, juízes do Tribunal de Justiça da Bahia, empresários, publicitários, ambientalistas, universitários, professores, escritores e profissionais da mídia soteropolitana.

Palestrantes

O primeiro palestrante da noite foi o presidente da mais antiga casa legislativa do país, vereador Pedro Godinho, que discorreu sobre o tema ‘Os 500 anos do Nascimento de Catharina Paraguassú’. Em seguida, o escritor Ubaldo Marques Porto Filho ocupou a tribuna para falar sobre o ‘Dia de Caramuru e Dia de Catharina Paraguassú’, sendo que este último foi instituído pela Lei 8.272, de 9 de maio de 2012.

‘Roteiro Turístico na Europa, pelos Caminhos de Caramuru, do Apóstolo Santiago e de Catharina Paraguassú’, foi o tema do terceiro palestrante, Pedro Galvão, presidente da Abav Bahia. Nelson Almeida Taboada, presidente da Casa de Cultura Carolina Taboada, fechou o ciclo das palestras com o tema ‘Projeto Caramuru & Catharina nas Escolas’.

Lançamentos

Na Sessão Especial da noite da segunda-feira, 16 de julho, foram lançados e distribuídos gratuitamente dois livros: ‘Catharina Paraguassú, Matriarca da Bahia’, de autoria de Ubaldo Marques Porto Filho, que resgatou a extraordinária trajetória da primeira grande personagem feminina da história do Brasil; e ‘Cinco de Outubro, Dia de Caramuru’, que registrou as festividades promovidas pelo transcurso do Dia Municipal de Caramuru, nos dois primeiros anos de vigência da Lei 7.774, sancionada em 15 de dezembro de 2009, que instituiu em Salvador o dia em homenagem ao Patriarca do Brasil. Esse livro tem nove autores: Ângelo Magno Carmo Lopes, Antônio Coradinho, Nelson Almeida Taboada, Pedro Galvão, Pedro Godinho, Santiago Campo, Sônia Morelli, Sydney Rezende e Ubaldo Marques Porto Filho.

Também foram lançados dois folders promocionais: ‘Roteiro Turístico na Europa, pelos Caminhos de Caramuru, do Apóstolo Santiago e de Catharina Paraguassú’, tema da palestra de Pedro Galvão; e ‘Projeto Caramuru & Catharina nas Escolas’, iniciativa didática da Casa de Cultura Carolina Taboada, que foi o tema da palestra do seu presidente, Nelson Almeida Taboada.

Participação Especial

A professora carioca Maria Cecília Pires de Carvalho e Albuquerque Penna, que descende diretamente (neta em 13ª grau) de Catharina Paraguassú, pela linha de sua filha Genebra Álvares, veio do Rio de Janeiro exclusivamente para participar da Sessão Especial na Câmara de Salvador. Por representar a família da homenageada, a ilustre visitante foi convidada pelo presidente Pedro Godinho para dirigir uma mensagem aos participantes da solenidade.

Ocupando a tribuna e falando de improviso, Maria Cecília Penna, que é conselheira do Instituto Cultural D. Isabel I, discorreu sobre a linhagem familiar, sobre a importância de Caramuru e Catharina para o Brasil e agradeceu “por tudo o que tem sido feito pelos meus antepassados”.

Veja as fotos

 

Veja mais: clique aqui

 

Algumas datas importantes para o Rio Vermelho

2 de fevereiro de 1911: Heinz Schueler
Nascimento em Berlim Heinz Schueler, o maior
mosaicista que passou pela Bahia no século passado. Em
Salvador residiu na Rua Alagoinhas, Parque Cruz Aguiar.
Faleceu aos 84 anos, em 15 de outubro de 1995, na
Alemanha.

7 de fevereiro de 1911: Carybé
Nascimento em Lanús, Argentina, de Héctor Júlio
Páride Bernarbó, o Carybé, artista plástico mundialmente
famoso. No Rio Vermelho residiu em dois locais, na
Avenida Oceânica e no Largo de Santana. Faleceu aos 86
anos, em 1º de outubro de 1997, em Salvador.

13 de abril de 1913: Paróquia de Senhora Sant’Ana
Criação da Paróquia de Sant’Ana do Rio Vermelho,
que acaba de completar 98 anos.

23 de janeiro de 1941: João Ubaldo Ribeiro
Nascimento em Itaparica de João Ubaldo Osório
Pimentel Ribeiro. No início da adolescência, ele morou no
Rio Vermelho, numa casa na esquina da Rua Ilhéus com
Canavieiras, Parque Cruz Aguiar. O escritor é membro da
Academia Brasileira de Letras e completou 70 anos.

17 de maio de 1941: Nascimento em Salvador de
Nelson Almeida Taboada, filho de uma importante
família do Rio Vermelho. O empresário é presidente
da Casa de Cultura Carolina Taboada e está
completando 70 anos.

29 de abril de 1945: Renate Schueler
Nascimento em Berlim, Alemanha, de Renate Doris
Schueler, que aos oito anos veio residir no Rio Vermelho,
na Rua Alagoinhas, Parque Cruz Aguiar, onde aprendeu
a falar português. É artista plástica consagrada e se
encontra radicada na Flórida, Estados Unidos. No dia 5
de julho estará no Rio Vermelho para fazer uma palestra
na Biblioteca Juracy Magalhães Júnior, às 17 horas.

8 de maio de 2004: Central das Entidades
Fundação da Central das Entidades do Rio Vermelho,
que teve como primeiro presidente o pároco do Rio
Vermelho, padre Ângelo Magno Carmo Lopes. É a
entidade que representa oficialmente o bairro descoberto
por Caramuru e está completando sete anos de bons
serviços prestados à comunidade riovermelhense.

25 de março de 2008:
O empresário Nelson Almeida Taboada funda a Casa
de Cultura Carolina Taboada, que ao completar três anos
de atividades apresenta um rico acervo de realizações
nos setores social e cultural. Patrocinou a publicação de
vinte edições da Folha do Rio Vermelho e nove livros que
resgataram a memória histórica do Rio Vermelho.

Maio de 2008: Folha do Rio Vermelho
Com o apoio da Casa de Cultura Carolina Taboada,
saiu a primeira edição do jornal Folha do Rio Vermelho.
Com a proposta de ser um periódico bimensal, chega
ao terceiro ano com 20 edições publicadas, numa
média de circulação a cada 1,8 mês. Pela qualidade do
conteúdo, da editoração eletrônica e da impressão, em
papel couchê, o melhor que existe para publicações, a
Folha tem sido bastante elogiada. Dos Estados Unidos, a
editoria recebeu da artista plástica Renate Schueler, que
tem sido uma divulgadora do Rio Vermelho na Flórida,
um e-mail com o seguinte trecho:

Levei meu cunhado ao aeroporto e
dei para ele as duas últimas edições da
Folha do Rio Vermelho, para que lesse no
avião. Ele se disse impressionado com a
qualidade do jornal do nosso bairro. Foi
um elogio importante, que partiu de uma
pessoa exigente, que entende muito de
publicações, pois aqui nos Estados Unidos
trabalha com distribuição de revistas para
a Ásia e a América do Sul, continentes que
visita uma vez por ano.

Casa de Cultura Carolina Taboada patrocina livro sobre a história da Associação Comercial da Bahia

Pelo transcurso do bicentenário da Associação Comercial da Bahia, o empresário Nelson Almeida Taboada (foto), que já foi diretor dessa instituição, está patrocinando através da entidade que preside, a Casa de Cultura Carolina Taboada, a publicação do livro ‘200 Anos da Associação Comercial da Bahia’, escrito por Ubaldo Marques Porto Filho. O lançamento será em junho, no Salão Nobre da ACB.

“O livro é o melhor presente que eu poderia oferecer a mais antiga associação empresarial do Brasil, que tem uma rica trajetória de relevantes serviços prestados à Bahia”, disse o benemérito da cultura baiana.

Apoio de Pedro Godinho e artigo de Nelson Taboada alcançaram imensa repercussão pública


Teve grande ressonância na Câmara Municipal, o fac-símile do ofício que a Folha publicou na edição passada, onde o vereador Pedro Godinho, lider do Prefeito, consignou o seguinte registro: “a respeito da heróica luta da Central das Entidades do Rio Vermelho, pela manutenção da delimitação geográfica do bairro, ocorrida em 1986, venho, mais uma vez, endossar o meu apoio a essa tão enraizada causa da comunidade do bairro, abraçada pela Paróquia de Sant’Ana do Rio Vermelho, por expressivos historiadores baianos e por ilustres moradores locais”. Vários vereadores entraram em contato com o presidente da Central, Clóvis Bezerril, parabenizando-o pela condução da campanha e também oferecendo apoio ao fortalecimento político da causa.
Também repercutiu intensamente a carta aberta de Nelson Alemeida Taboada, publicada nessa mesma edição, com o título “Senhor Prefeito, não deixe que a Cartilha dos Logradouros do Rio Vermelho seja jogada na lata do lixo”. Foi o apelo que o presidente da Casa de Cultura Carolina Taboada fez ao prefeito João Henrique, no sentido da preservação dos limites históricos do Rio Vermelho, conforme delimitação de 1986.

Nelson Almeida Taboada na posse do desembargador Castelo Branco

No dia 18 de junho, o presidente da Casa de Cultura Carolina Taboada, Nelson Almeida Taboada esteve na posse do bacharel em direito Nilson Castelo Branco como desembargador do Tribunal de Justiça da Bahia.

A solenidade, no Salão Nobre do Fórum Ruy Barbosa, foi dirigida pela presidente Telma Britto e contou com as presenças dos demais desembargadores do TJB e de diversas autoridades locais e nacionais, dentre elas três ministros do Superior Tribunal de Justiça: Paulo Furtado, Humberto Soares Martins e o presidente César Asfor Rocha.
Na foto, publicada na coluna Kin Kin, Tribuna da Bahia, edição de 22 de junho, o desembargador Castelo Branco aparece entre os amigos Nelson Almeida Taboada, Nelson José de Carvalho e Walter Pinheiro.

Nelson Almeida Taboada no lançamento do livro da juíza Gardênia

No dia 10 de junho, Nelson Almeida Taboada compareceu ao lançamento de ‘Deus e Você, o Grande Encontro’ ocorrido no Bistrot Du Vin, na Pituba. A obra, editada pela EME Editora, com 176 páginas, foi escrita por Gardênia Duarte, que é autora de outros dois livros.
Na mesma noite, a escritora, que é juíza de direito do Tribunal de Justiça da Bahia e que também interpreta músicas românticas, lançou o seu segundo CD, ‘Gardênia’.
Na foto, Gardênia Pereira Duarte com Nelson Almeida Taboada e Paulo Furtado, ministro do Superior Tribunal de Justiça.

O homenageado com algumas personalidades

Foto 1: Prefeito João Henrique Carneiro e Nelson Almeida Taboada.
Foto 2: Adalgisa e o senador Mão Santa, ex-governador do Piauí, Walter
Pinheiro, presidente da Tribuna da Bahia, Nelson Almeida Taboada, jornalista
Nelson José de Carvalho, e os vereadores Teo Senna e Pedro Godinho.
Foto 3: O ex-governador da Bahia, senador César Borges, e Nelson Almeida Taboada.
Foto 4: Juíza Nartir Dantas Weber, presidente da Associação dos Magistrados
da Bahia, e Nelson Almeida Taboada.
Foto 5: Nelson Almeida Taboada entre o vice-almirante Arnon Lima Barbosa e o capitãode-
mar-e-guerra Paulo Ricardo Girão Garcia, respectivamente comandante
do 2º Distrito Naval e chefe do Estado Maior do 2º Distrito Naval.
Foto 6:João Roma, advogado no Amapá, economista Cláudio Taboada, expresidente
da Bahiatursa, senador Mão Santa e Nelson Almeida Taboada.

Discurso de Nelson Almeida Taboada

Minhas Senhoras, Meus Senhores, Meus Amigos:
Hoje é um dia muito especial para mim, por três motivos.

O primeiro é por receber a Medalha Thomé de Souza, a maior honraria que a Câmara Municipal da Cidade do Salvador outorga a um cidadão soteropolitano. A Medalha Thomé de Souza é uma condecoração que me deixa envaidecido e ao mesmo tempo com a responsabilidade redobrada em continuar prestando meus modestos serviços à cultura e ao social na minha cidade e no meu querido bairro, o Rio Vermelho.

O segundo motivo especial é o fato da Casa de Cultura Carolina Taboada, entidade sem fins lucrativos, estar completando hoje dois anos de fundada. E nesse curto período, já promoveu diversas ações beneficentes dirigidas à classe dos menos favorecidos, patrocinou nove edições da Folha do Rio Vermelho, que é o jornal oficial do bairro da minha família, e patrocinou a publicação nove livros. Os dois últimos, então sendo lançados simultaneamente, hoje, aqui na Câmara Municipal.

Um, denominado NOTÁVEIS DO RIO VERMELHO, relaciona 4.561 nomes de pessoas que ajudaram a construir a história dos 500 anos do Rio Vermelho. O outro, intitulado NELSON TABOADA SOUZA, BENEMÉRITO DA INDÚSTRIA, registra a biografia do meu saudoso pai. As duas obras foram escritas por Ubaldo Marques Porto Filho, biógrafo da Família Taboada e historiador do Rio Vermelho.

O terceiro motivo, também muito especial, é a minha única filha Carolina Sousa Taboada, que hoje aniversaria, faz nove anos de idade. Ela foi a fonte inspiradora para o surgimento da Casa de Cultura Carolina Taboada e da canção ‘Ode à Carolina Taboada’, de autoria do compositor, músico e cantor José Alberto Morais Silva, com arranjo do maestro Fred Dantas. Essa composição faz parte do repertório do CD ‘Ode à Carolina Taboada’, que será lançado dentro de poucos dias.

Nesse momento solene, que ficará marcado para sempre na história da minha vida, não posso deixar de falar no meu avô, José Taboada Vidal, no meu pai, Nelson Taboada Souza, e na minha mãe, Maria Antonieta Almeida Taboada, que passaram a vida inteira praticando benemerências, tendo como foco principal o Rio Vermelho, onde inclusive participaram ativamente da epopéia que foi a construção da atual Igreja Matriz, inaugurada em 26 de julho de 1967, dia de Senhora Sant’Ana, Padroeira do Rio Vermelho.

Deles recebi a herança da fraternidade e tenho procurado ser o continuador da tradição familiar, de disseminar o bem, de colaborar com as atividades culturais, de cultivar a religiosidade e de contribuir, de forma desinteressada e discreta, para minorar os sofrimentos dos mais carentes.

Portanto, ao meu avô e aos meus pais, devo repartir os loiros da vitória que hoje se materializa com a Medalha Thomé de Souza. Que sirva também de mais um exemplo para a minha filha, que irá, com fé em Deus, em Senhor do Bomfim e em Senhora Sant’Ana, trilhar os mesmos caminhos das boas ações praticadas pelos seus ascendentes paternos.

Senhoras e Senhores, reitero os agradecimentos ao ilustre vereador Pedro Godinho, que, dentre tantas personalidades, merecedores da Medalha Thomé de Souza, optou pela minha indicação. Os agradecimentos são extensivos aos demais edis que, por decisão unânime, aprovaram a homologação do meu nome para a outorga da Medalha Thomé de Souza. Agradeço ainda a essa augusta Casa Legislativa pelo privilégio que me foi concedido em receber essa importante láurea, que dignifica e enobrece o homenageado.

Enfim, agradeço aos componentes da Mesa diretora desta Sessão, às autoridades, aos amigos e parentes, aos que vieram de outros estados, aos companheiros produtores de soja e algodão do oeste baiano e a todos que se encontram neste plenário histórico. A presença dos senhores e senhoras, nesta Sessão Solene da mais antiga Câmara Municipal do Brasil, constituiu-se num motivo de imensa alegria, de muita satisfação e de uma grande honra para mim.

Mais uma vez, o meu muito obrigado a todos aqui presentes.