Catharina Paraguassú, matriarca do Brasil

Câmara homenageia índia tupinambá, primeira grande personagem feminina da história brasileira

Maíra do Amaral

O primeiro casal cristão do Brasil, formado pela índia tupinambá Catharina Paraguassú e pelo europeu Diogo Álvares Corrêa – o Caramuru, foi o homenageado da sessão especial da Câmara Municipal de Salvador, na noite de segunda-feira (16), no Plenário Cosme de Farias. Há 500 anos do nascimento da primeira grande personagem feminina da história do Brasil, considerada a matriarca do país, o presidente da Casa Legislativa, vereador Pedro Godinho (PMDB), comandou a solenidade em reconhecimento às duas personalidades marcantes da historiografia baiana e brasileira do século XVI.
A sessão também comemorou a criação da Lei nº 8.272, sancionada em maio deste ano pelo prefeito João Henrique e de autoria de Pedro Godinho. A lei instituiu o 26 de janeiro como Dia Municipal de Catharina Paraguassú.
Para tornar a noite de homenagens completa, foram lançados os livros “Catharina Paraguassú, Matriarca do Brasil” e “Cinco de Outubro, Dia de Caramuru”. A primeira obra é assinada pelo presidente da Academia dos Imortais do Rio Vermelho, Ubaldo Marques Porto Filho, que afirmou ser o Dia Municipal dedicado à índia uma “homenagem perpétua”. O escritor ainda revelou o desejo de ver produzido um livro com os relatos dos primeiros anos de eventos festivos à data, tendo como ponto de partida a solenidade na Câmara.
O livro sobre Caramuru, trabalho conjunto de nove autores e impresso com apoio da Câmara, foi igualmente apresentado por Ubaldo e pelo presidente da Casa. A obra traz um retrospecto das celebrações ocorridas nos dois anos de vigência do Dia Municipal de Caramuru, instituído pela Lei 7.774, sancionada em 2009, com projeto de lei do vereador Pedro Godinho.
Segundo Godinho, a comemoração na segunda-feira, 16 de julho, foi realizada em bom momento: foi em 16 de julho de 1586 que a Igreja de Nossa Senhora da Graça, erguida pela vontade de Catharina Paraguassú, foi doada pela índia à Ordem de São Bento da Bahia.
Por sua devoção, Katherine du Brezil, nome com o qual foi batizada em Saint-Malo, na França, é tida como pioneira na difusão da fé católica no país. Na opinião de Pedro Galvão, presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens da Bahia, Catharina “demonstrou a fibra da mulher brasileira” ao conseguir, enquanto uma selvagem, se adaptar à civilização, vivendo com Caramuru por quase quatro anos na Bretanha.
A descendente em 13ª geração de Caramuru e Catharina, Maria Cecília Pires de Carvalho Albuquerque Pena disse sentir-se orgulhosa pela contribuição de sua família ao Brasil. E agradeceu “por tudo o que tem sido feito pelos nomes de meus antepassados”.

Turismo e educação

Para os interessados em conhecer os lugares e monumentos históricos das regiões relacionadas a Caramuru e Catharina Paraguassú, o empresário Pedro Galvão idealizou um roteiro turístico, cultural, religioso e histórico denominado “Pelos caminhos de Caramuru, Apóstolo Santiago e Catharina Paraguassú”, que engloba cidades em Portugal, Espanha e França. Por não se saber a nacionalidade de Diogo Álvares Corrêa, o roteiro engloba locais ligados ao Caramuru francês, espanhol e português.
Outra iniciativa apresentada na sessão foi o “Projeto Caramuru & Catharina nas escolas”, promovido pela Casa de Cultura Carolina Taboada e destinado a educadores e alunos do ensino fundamental. O projeto terá como unidade piloto a Escola Osvaldo Cruz. Nelson Taboada, presidente da Casa de Cultura Carolina Taboada, explicou que a ação poderá ser estendida à rede municipal de ensino, ao interior baiano e mesmo ao circuito nacional.
Estiveram presentes à mesa da sessão, além de Pedro Godinho, Ubaldo Porto, Nelson Almeida Taboada e Pedro Galvão, o chefe da Casa Civil Geraldo Abbehusen, representando o prefeito de Salvador; Claudelino Miranda, representando o vice-prefeito Edvaldo Brito; o padre Ângelo Lopes; o presidente da Câmara Portuguesa do Comércio no Brasil – Bahia, Antônio Coradinho; o presidente da Associação Cultural Hispano-Galega Caballeros de Santiago, Santiago Campo; o ex-presidente da Associação Comercial da Bahia, Eduardo Morais de Castro; o presidente do Instituto Genealógico da Bahia, Álvaro Carvalho Júnior; o jornalista Nelson Carvalho; e o presidente da Associação Comercial da Bahia, Marcos Fonseca.
Na extensão da mesa, estavam Maria Cecília; Sydney Rezende, presidente do Conselho de Cultura e Turismo do Rio Vermelho; Isa Silva, presidente da Fundação Gregório de Mattos; Bruno Peyrefitte, diretor-geral da Aliança Francesa de Salvador; e Adhemar Brito, presidente da Associação Atlética da Bahia. Acompanhou a solenidade o vereador Sandoval Guimarães (PMDB).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>