200 Anos da Associação Comercial (arquivo Nelson Taboada)

Foi notícia

Nelson Almeida Taboada

No dia 15 de junho de 2011, no Salão Nobre da Associação Comercial da Bahia, como parte da programação do bicentenário da mais antiga entidade da classe empresarial na América Latina, foi solenemente lançado o livro 200 Anos da Associação Comercial da Bahia.

Durante o evento, o presidente Eduardo Morais de Castro entregou ao escritor Ubaldo Marques Porto Filho e ao empresário Nelson Almeida Taboada  uma placa de prata contendo o reconhecimento da Associação Comercial da Bahia ao autor e ao patrocinador da obra que resume a história dos dois séculos da ACB.

A solenidade, no Salão Nobre do Palácio da Associação Comercial da Bahia (ACB), na noite de 15 de junho de 2011, contou com a presença de membros da imprensa, do corpo consular, de associações, de entidades de classe e de diversas autoridades, dentre elas o presidente da Câmara Municipal de Salvador, Pedro Godinho, e o presidente da Associação Bahiana de Imprensa, Walter Pinheiro. Inúmeros empresários, profissionais liberais, diretores, conselheiros e associados da ACB também prestigiaram o evento que foi encerrado com um coquetel após a distribuição gratuita dos exemplares da obra impressa em papel da melhor qualidade. A excelência da editoração eletrônica, executada pela agência Verbo de Ligação Ilustrações, e a qualidade irretocável da impressão, no parque da Press Color Gráficos, foram alvos de muitos elogios.

200 Anos da Associação Comercial da Bahia é a décima obra patrocinada pela Casa de Cultura Carolina Taboada, entidade fundada e presidida pelo empresário Nelson Almeida Taboada, antigo conselheiro da ACB.

Nelson Almeida Taboada

Nelson Carvalho (diretor da ABI), Nelson Taboada e Walter Pinheiro
(presidente da ABI),

Nelson Almeida Taboada 2

Nelson Taboada, Ubaldo Porto e
Eduardo Morais de Castro.

Nelson_Taboada

Álvaro Dantas, presidente do Instituto Genealógico da Bahia, e
Nelson Taboada.

Taboada

Antônio Carlos Freire, Ubaldo Porto, Walter Pinheiro, Nelson Taboada e Nelson José de Carvalho.

Nelson Almeida Taboada_1

Publicitário Sydney Rezende, Antônio Coradinho
(presidente da Câmara Portuguesa), professor Mario Rezende
e Ubaldo Porto.

 

Casa de Cultura Carolina Taboada patrocina livro

Centenário da Paróquia do Rio Vermelho

Capa do livro “100 Anos da Paróquia do Rio Vermelho”

 A Casa de Cultura Carolina Taboada patrocinou a publicação do livro “100 Anos da Paróquia do Rio Vermelho“, lançado no dia 05 de abril de 2013, data da comemoração do centenário desta importante igreja. O livro com 184 páginas, escrito por Ubaldo Porto, conta a história da 16ª paróquia mais antiga entre as 89 existentes no município de Salvador.

O presidente da Casa de Cultura Carolina Taboada, Nelson Almeida Taboada, assinou o prefácio da obra, que traz rica história narrando a origem da Irmandade; a Festa da Padroeira Senhora Sant’Ana; colaboradores importantes no decorrer desses 100 anos; e muitos mais.

Além do lançamento do livro, que aconteceu no Salão Paroquial,  nesta mesma data houve Solene Celebração em Ação de Graças, presidida por Dom Murilo Krieger, Arcebispo da Bahia e Primaz do Brasil.

Versão digital do livro  “100 Anos da Paróquia do Rio Vermelho”, clique aqui.

Prefácio da obra, clique aqui.

Dom Murilo dsc_0028grdsc_0028jpg igreja igreja 2 Nelson Almeida Taboada Nelson Almeida Taboada 2 Nelson Taboada e Dom Murilo Padre Angelo Ubaldo Marques

Mais fotos, clique aqui.

Dia Municipal do Caramuru é celebrado

Link

http://www.tribunadabahia.com.br/2011/10/05/dia-municipal-do-caramuru-e-celebrado

Reprodução Tribuna da Bahia

por 
Roberta Cerqueira
 
Publicada em 05/10/2011 23:04:01
Uma noite voltada à cultura marcou as comemorações do Dia Municipal do Caramuru e Dia do Rio Vermelho, celebrados ontem, na Associação Hispânico-galega Caballeros de Santiago. Caramuru é o nome tupi de Diogo Álvares Correia, náufrago português, descobridor do bairro e co-fundador da cidade de Salvador. Palestras, lançamentos de livros, coquetel e um show folclórico galego integraram os festejos.
“É sempre importante resgatarmos a rica história do Rio Vermelho, um bairro que, inclusive, conta com diversos casarões que constituem um acervo arquitetônico importante na nossa cidade. E, cinco séculos após a sua fundação, o Rio Vermelho se consolidou como um bairro com uma vasta cultura. Portanto, nada mais significativo do que homenagear o seu fundador”, frisou o prefeito João Henrique Carneiro, presente na celebração.O economista e empresário, Nelson Almeida Taboada abriu a noite com a palestra “Memorial Caramuru”, seguido pelo historiador Ubaldo Porto que abordou os “502 anos da Chegada de Caramuru”. A noite ainda contou com a contribuição do presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagem da Bahia (Abav-Ba), Pedro Galvão, com o tema “A Importância do Caramuru no Turismo Histórico”, sendo encerrada pelo presidente da casa, Santiago Campo, com “O Projeto Caramuru”.O deputado espanhol Severino Requera Varela, da província de Pontevedra, da Galícia – região autônoma da Espanha – também esteve presente no evento. Vice-prefeito do município de Pazos de Borbén, o deputado veio representando o governo da Galícia.

Na ocasião, Taboada lançou os livros “Discursos, Arti-gos e Palestras” e “Proyecto Caramuru Gallego”, este último, escrito por ele e outros quatro autores: Ubaldo Porto, Pedro Galvão, Santiago Campo e Maribel Amoedo.

Um coquetel, promovido pela Casa de Cultura Carolina Taboada, fechou as comemorações da noite.“Me sinto orgulhoso de participar de um evento como esse, pois, esta casa é voltada para o fortalecimento das atividades culturais integradas ao bairro do Rio Vermelho bem como todos os movimentos religiosos e filantrópicos de outros bairros”, destacou Taboada, que é presidente da Casa de Cultura que leva o nome de sua única filha.

O Dia Municipal de Caramuru, foi instituído pela  Lei 7.774, sancionada em 15 de dezembro de 2009, pelo prefeito João Henrique Carneiro. A data também é o Dia do Rio Vermelho e marca calendário festivo da cidade.

 

 

Catharina Paraguassú, matriarca do Brasil

Câmara homenageia índia tupinambá, primeira grande personagem feminina da história brasileira

Maíra do Amaral

O primeiro casal cristão do Brasil, formado pela índia tupinambá Catharina Paraguassú e pelo europeu Diogo Álvares Corrêa – o Caramuru, foi o homenageado da sessão especial da Câmara Municipal de Salvador, na noite de segunda-feira (16), no Plenário Cosme de Farias. Há 500 anos do nascimento da primeira grande personagem feminina da história do Brasil, considerada a matriarca do país, o presidente da Casa Legislativa, vereador Pedro Godinho (PMDB), comandou a solenidade em reconhecimento às duas personalidades marcantes da historiografia baiana e brasileira do século XVI.
A sessão também comemorou a criação da Lei nº 8.272, sancionada em maio deste ano pelo prefeito João Henrique e de autoria de Pedro Godinho. A lei instituiu o 26 de janeiro como Dia Municipal de Catharina Paraguassú.
Para tornar a noite de homenagens completa, foram lançados os livros “Catharina Paraguassú, Matriarca do Brasil” e “Cinco de Outubro, Dia de Caramuru”. A primeira obra é assinada pelo presidente da Academia dos Imortais do Rio Vermelho, Ubaldo Marques Porto Filho, que afirmou ser o Dia Municipal dedicado à índia uma “homenagem perpétua”. O escritor ainda revelou o desejo de ver produzido um livro com os relatos dos primeiros anos de eventos festivos à data, tendo como ponto de partida a solenidade na Câmara.
O livro sobre Caramuru, trabalho conjunto de nove autores e impresso com apoio da Câmara, foi igualmente apresentado por Ubaldo e pelo presidente da Casa. A obra traz um retrospecto das celebrações ocorridas nos dois anos de vigência do Dia Municipal de Caramuru, instituído pela Lei 7.774, sancionada em 2009, com projeto de lei do vereador Pedro Godinho.
Segundo Godinho, a comemoração na segunda-feira, 16 de julho, foi realizada em bom momento: foi em 16 de julho de 1586 que a Igreja de Nossa Senhora da Graça, erguida pela vontade de Catharina Paraguassú, foi doada pela índia à Ordem de São Bento da Bahia.
Por sua devoção, Katherine du Brezil, nome com o qual foi batizada em Saint-Malo, na França, é tida como pioneira na difusão da fé católica no país. Na opinião de Pedro Galvão, presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens da Bahia, Catharina “demonstrou a fibra da mulher brasileira” ao conseguir, enquanto uma selvagem, se adaptar à civilização, vivendo com Caramuru por quase quatro anos na Bretanha.
A descendente em 13ª geração de Caramuru e Catharina, Maria Cecília Pires de Carvalho Albuquerque Pena disse sentir-se orgulhosa pela contribuição de sua família ao Brasil. E agradeceu “por tudo o que tem sido feito pelos nomes de meus antepassados”.

Turismo e educação

Para os interessados em conhecer os lugares e monumentos históricos das regiões relacionadas a Caramuru e Catharina Paraguassú, o empresário Pedro Galvão idealizou um roteiro turístico, cultural, religioso e histórico denominado “Pelos caminhos de Caramuru, Apóstolo Santiago e Catharina Paraguassú”, que engloba cidades em Portugal, Espanha e França. Por não se saber a nacionalidade de Diogo Álvares Corrêa, o roteiro engloba locais ligados ao Caramuru francês, espanhol e português.
Outra iniciativa apresentada na sessão foi o “Projeto Caramuru & Catharina nas escolas”, promovido pela Casa de Cultura Carolina Taboada e destinado a educadores e alunos do ensino fundamental. O projeto terá como unidade piloto a Escola Osvaldo Cruz. Nelson Taboada, presidente da Casa de Cultura Carolina Taboada, explicou que a ação poderá ser estendida à rede municipal de ensino, ao interior baiano e mesmo ao circuito nacional.
Estiveram presentes à mesa da sessão, além de Pedro Godinho, Ubaldo Porto, Nelson Almeida Taboada e Pedro Galvão, o chefe da Casa Civil Geraldo Abbehusen, representando o prefeito de Salvador; Claudelino Miranda, representando o vice-prefeito Edvaldo Brito; o padre Ângelo Lopes; o presidente da Câmara Portuguesa do Comércio no Brasil – Bahia, Antônio Coradinho; o presidente da Associação Cultural Hispano-Galega Caballeros de Santiago, Santiago Campo; o ex-presidente da Associação Comercial da Bahia, Eduardo Morais de Castro; o presidente do Instituto Genealógico da Bahia, Álvaro Carvalho Júnior; o jornalista Nelson Carvalho; e o presidente da Associação Comercial da Bahia, Marcos Fonseca.
Na extensão da mesa, estavam Maria Cecília; Sydney Rezende, presidente do Conselho de Cultura e Turismo do Rio Vermelho; Isa Silva, presidente da Fundação Gregório de Mattos; Bruno Peyrefitte, diretor-geral da Aliança Francesa de Salvador; e Adhemar Brito, presidente da Associação Atlética da Bahia. Acompanhou a solenidade o vereador Sandoval Guimarães (PMDB).