Algumas datas importantes para o Rio Vermelho

2 de fevereiro de 1911: Heinz Schueler
Nascimento em Berlim Heinz Schueler, o maior
mosaicista que passou pela Bahia no século passado. Em
Salvador residiu na Rua Alagoinhas, Parque Cruz Aguiar.
Faleceu aos 84 anos, em 15 de outubro de 1995, na
Alemanha.

7 de fevereiro de 1911: Carybé
Nascimento em Lanús, Argentina, de Héctor Júlio
Páride Bernarbó, o Carybé, artista plástico mundialmente
famoso. No Rio Vermelho residiu em dois locais, na
Avenida Oceânica e no Largo de Santana. Faleceu aos 86
anos, em 1º de outubro de 1997, em Salvador.

13 de abril de 1913: Paróquia de Senhora Sant’Ana
Criação da Paróquia de Sant’Ana do Rio Vermelho,
que acaba de completar 98 anos.

23 de janeiro de 1941: João Ubaldo Ribeiro
Nascimento em Itaparica de João Ubaldo Osório
Pimentel Ribeiro. No início da adolescência, ele morou no
Rio Vermelho, numa casa na esquina da Rua Ilhéus com
Canavieiras, Parque Cruz Aguiar. O escritor é membro da
Academia Brasileira de Letras e completou 70 anos.

17 de maio de 1941: Nascimento em Salvador de
Nelson Almeida Taboada, filho de uma importante
família do Rio Vermelho. O empresário é presidente
da Casa de Cultura Carolina Taboada e está
completando 70 anos.

29 de abril de 1945: Renate Schueler
Nascimento em Berlim, Alemanha, de Renate Doris
Schueler, que aos oito anos veio residir no Rio Vermelho,
na Rua Alagoinhas, Parque Cruz Aguiar, onde aprendeu
a falar português. É artista plástica consagrada e se
encontra radicada na Flórida, Estados Unidos. No dia 5
de julho estará no Rio Vermelho para fazer uma palestra
na Biblioteca Juracy Magalhães Júnior, às 17 horas.

8 de maio de 2004: Central das Entidades
Fundação da Central das Entidades do Rio Vermelho,
que teve como primeiro presidente o pároco do Rio
Vermelho, padre Ângelo Magno Carmo Lopes. É a
entidade que representa oficialmente o bairro descoberto
por Caramuru e está completando sete anos de bons
serviços prestados à comunidade riovermelhense.

25 de março de 2008:
O empresário Nelson Almeida Taboada funda a Casa
de Cultura Carolina Taboada, que ao completar três anos
de atividades apresenta um rico acervo de realizações
nos setores social e cultural. Patrocinou a publicação de
vinte edições da Folha do Rio Vermelho e nove livros que
resgataram a memória histórica do Rio Vermelho.

Maio de 2008: Folha do Rio Vermelho
Com o apoio da Casa de Cultura Carolina Taboada,
saiu a primeira edição do jornal Folha do Rio Vermelho.
Com a proposta de ser um periódico bimensal, chega
ao terceiro ano com 20 edições publicadas, numa
média de circulação a cada 1,8 mês. Pela qualidade do
conteúdo, da editoração eletrônica e da impressão, em
papel couchê, o melhor que existe para publicações, a
Folha tem sido bastante elogiada. Dos Estados Unidos, a
editoria recebeu da artista plástica Renate Schueler, que
tem sido uma divulgadora do Rio Vermelho na Flórida,
um e-mail com o seguinte trecho:

Levei meu cunhado ao aeroporto e
dei para ele as duas últimas edições da
Folha do Rio Vermelho, para que lesse no
avião. Ele se disse impressionado com a
qualidade do jornal do nosso bairro. Foi
um elogio importante, que partiu de uma
pessoa exigente, que entende muito de
publicações, pois aqui nos Estados Unidos
trabalha com distribuição de revistas para
a Ásia e a América do Sul, continentes que
visita uma vez por ano.

Casa de Cultura Carolina Taboada patrocina livro sobre a história da Associação Comercial da Bahia

Pelo transcurso do bicentenário da Associação Comercial da Bahia, o empresário Nelson Almeida Taboada (foto), que já foi diretor dessa instituição, está patrocinando através da entidade que preside, a Casa de Cultura Carolina Taboada, a publicação do livro ‘200 Anos da Associação Comercial da Bahia’, escrito por Ubaldo Marques Porto Filho. O lançamento será em junho, no Salão Nobre da ACB.

“O livro é o melhor presente que eu poderia oferecer a mais antiga associação empresarial do Brasil, que tem uma rica trajetória de relevantes serviços prestados à Bahia”, disse o benemérito da cultura baiana.

Apoio de Pedro Godinho e artigo de Nelson Taboada alcançaram imensa repercussão pública


Teve grande ressonância na Câmara Municipal, o fac-símile do ofício que a Folha publicou na edição passada, onde o vereador Pedro Godinho, lider do Prefeito, consignou o seguinte registro: “a respeito da heróica luta da Central das Entidades do Rio Vermelho, pela manutenção da delimitação geográfica do bairro, ocorrida em 1986, venho, mais uma vez, endossar o meu apoio a essa tão enraizada causa da comunidade do bairro, abraçada pela Paróquia de Sant’Ana do Rio Vermelho, por expressivos historiadores baianos e por ilustres moradores locais”. Vários vereadores entraram em contato com o presidente da Central, Clóvis Bezerril, parabenizando-o pela condução da campanha e também oferecendo apoio ao fortalecimento político da causa.
Também repercutiu intensamente a carta aberta de Nelson Alemeida Taboada, publicada nessa mesma edição, com o título “Senhor Prefeito, não deixe que a Cartilha dos Logradouros do Rio Vermelho seja jogada na lata do lixo”. Foi o apelo que o presidente da Casa de Cultura Carolina Taboada fez ao prefeito João Henrique, no sentido da preservação dos limites históricos do Rio Vermelho, conforme delimitação de 1986.

Nelson Almeida Taboada na posse do desembargador Castelo Branco

No dia 18 de junho, o presidente da Casa de Cultura Carolina Taboada, Nelson Almeida Taboada esteve na posse do bacharel em direito Nilson Castelo Branco como desembargador do Tribunal de Justiça da Bahia.

A solenidade, no Salão Nobre do Fórum Ruy Barbosa, foi dirigida pela presidente Telma Britto e contou com as presenças dos demais desembargadores do TJB e de diversas autoridades locais e nacionais, dentre elas três ministros do Superior Tribunal de Justiça: Paulo Furtado, Humberto Soares Martins e o presidente César Asfor Rocha.
Na foto, publicada na coluna Kin Kin, Tribuna da Bahia, edição de 22 de junho, o desembargador Castelo Branco aparece entre os amigos Nelson Almeida Taboada, Nelson José de Carvalho e Walter Pinheiro.

Nelson Almeida Taboada no lançamento do livro da juíza Gardênia

No dia 10 de junho, Nelson Almeida Taboada compareceu ao lançamento de ‘Deus e Você, o Grande Encontro’ ocorrido no Bistrot Du Vin, na Pituba. A obra, editada pela EME Editora, com 176 páginas, foi escrita por Gardênia Duarte, que é autora de outros dois livros.
Na mesma noite, a escritora, que é juíza de direito do Tribunal de Justiça da Bahia e que também interpreta músicas românticas, lançou o seu segundo CD, ‘Gardênia’.
Na foto, Gardênia Pereira Duarte com Nelson Almeida Taboada e Paulo Furtado, ministro do Superior Tribunal de Justiça.