O homenageado com algumas personalidades

Foto 1: Prefeito João Henrique Carneiro e Nelson Almeida Taboada.
Foto 2: Adalgisa e o senador Mão Santa, ex-governador do Piauí, Walter
Pinheiro, presidente da Tribuna da Bahia, Nelson Almeida Taboada, jornalista
Nelson José de Carvalho, e os vereadores Teo Senna e Pedro Godinho.
Foto 3: O ex-governador da Bahia, senador César Borges, e Nelson Almeida Taboada.
Foto 4: Juíza Nartir Dantas Weber, presidente da Associação dos Magistrados
da Bahia, e Nelson Almeida Taboada.
Foto 5: Nelson Almeida Taboada entre o vice-almirante Arnon Lima Barbosa e o capitãode-
mar-e-guerra Paulo Ricardo Girão Garcia, respectivamente comandante
do 2º Distrito Naval e chefe do Estado Maior do 2º Distrito Naval.
Foto 6:João Roma, advogado no Amapá, economista Cláudio Taboada, expresidente
da Bahiatursa, senador Mão Santa e Nelson Almeida Taboada.

Discurso de Nelson Almeida Taboada

Minhas Senhoras, Meus Senhores, Meus Amigos:
Hoje é um dia muito especial para mim, por três motivos.

O primeiro é por receber a Medalha Thomé de Souza, a maior honraria que a Câmara Municipal da Cidade do Salvador outorga a um cidadão soteropolitano. A Medalha Thomé de Souza é uma condecoração que me deixa envaidecido e ao mesmo tempo com a responsabilidade redobrada em continuar prestando meus modestos serviços à cultura e ao social na minha cidade e no meu querido bairro, o Rio Vermelho.

O segundo motivo especial é o fato da Casa de Cultura Carolina Taboada, entidade sem fins lucrativos, estar completando hoje dois anos de fundada. E nesse curto período, já promoveu diversas ações beneficentes dirigidas à classe dos menos favorecidos, patrocinou nove edições da Folha do Rio Vermelho, que é o jornal oficial do bairro da minha família, e patrocinou a publicação nove livros. Os dois últimos, então sendo lançados simultaneamente, hoje, aqui na Câmara Municipal.

Um, denominado NOTÁVEIS DO RIO VERMELHO, relaciona 4.561 nomes de pessoas que ajudaram a construir a história dos 500 anos do Rio Vermelho. O outro, intitulado NELSON TABOADA SOUZA, BENEMÉRITO DA INDÚSTRIA, registra a biografia do meu saudoso pai. As duas obras foram escritas por Ubaldo Marques Porto Filho, biógrafo da Família Taboada e historiador do Rio Vermelho.

O terceiro motivo, também muito especial, é a minha única filha Carolina Sousa Taboada, que hoje aniversaria, faz nove anos de idade. Ela foi a fonte inspiradora para o surgimento da Casa de Cultura Carolina Taboada e da canção ‘Ode à Carolina Taboada’, de autoria do compositor, músico e cantor José Alberto Morais Silva, com arranjo do maestro Fred Dantas. Essa composição faz parte do repertório do CD ‘Ode à Carolina Taboada’, que será lançado dentro de poucos dias.

Nesse momento solene, que ficará marcado para sempre na história da minha vida, não posso deixar de falar no meu avô, José Taboada Vidal, no meu pai, Nelson Taboada Souza, e na minha mãe, Maria Antonieta Almeida Taboada, que passaram a vida inteira praticando benemerências, tendo como foco principal o Rio Vermelho, onde inclusive participaram ativamente da epopéia que foi a construção da atual Igreja Matriz, inaugurada em 26 de julho de 1967, dia de Senhora Sant’Ana, Padroeira do Rio Vermelho.

Deles recebi a herança da fraternidade e tenho procurado ser o continuador da tradição familiar, de disseminar o bem, de colaborar com as atividades culturais, de cultivar a religiosidade e de contribuir, de forma desinteressada e discreta, para minorar os sofrimentos dos mais carentes.

Portanto, ao meu avô e aos meus pais, devo repartir os loiros da vitória que hoje se materializa com a Medalha Thomé de Souza. Que sirva também de mais um exemplo para a minha filha, que irá, com fé em Deus, em Senhor do Bomfim e em Senhora Sant’Ana, trilhar os mesmos caminhos das boas ações praticadas pelos seus ascendentes paternos.

Senhoras e Senhores, reitero os agradecimentos ao ilustre vereador Pedro Godinho, que, dentre tantas personalidades, merecedores da Medalha Thomé de Souza, optou pela minha indicação. Os agradecimentos são extensivos aos demais edis que, por decisão unânime, aprovaram a homologação do meu nome para a outorga da Medalha Thomé de Souza. Agradeço ainda a essa augusta Casa Legislativa pelo privilégio que me foi concedido em receber essa importante láurea, que dignifica e enobrece o homenageado.

Enfim, agradeço aos componentes da Mesa diretora desta Sessão, às autoridades, aos amigos e parentes, aos que vieram de outros estados, aos companheiros produtores de soja e algodão do oeste baiano e a todos que se encontram neste plenário histórico. A presença dos senhores e senhoras, nesta Sessão Solene da mais antiga Câmara Municipal do Brasil, constituiu-se num motivo de imensa alegria, de muita satisfação e de uma grande honra para mim.

Mais uma vez, o meu muito obrigado a todos aqui presentes.